Álbum dos Jogos Sul-Americanos: Giovanni Piazza

O Wrestling brasileiro compete de 12 a 14 de outubro os Jogos Sul-Americanos, em Assunção, capital do Paraguai. Vamos conhecer um pouco mais de Giovanni Piazza, mais uma figurinha que compõe o “Álbum dos Jogos Sul-Americanos 2022”. A família Piazza morava em São Sebastião, litoral paulista e se mudou para capital paulista. Giovanni era praticante de jiu-jitsu quando teve contato com a modalidade pela primeira vez no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, clube que defende até hoje.

“O primeiro contato que tive com o esporte foi em 2018 via um amigo que já praticava a modalidade no Centro Olímpico. Tive contato com os treinadores William Naim, Lucimar Medeiros e Thiago Queiroz. Três meses depois lutei o Campeonato Brasileiro Cadete e conquistei uma medalha. Senti que o esporte era diferente do Jiu-jitsu e pensei esse negócio é da hora”, explicou Giovanni.

No ano seguinte, em 2019. Giovanni passou a lutar na categoria 79kg, uma divisão de peso não olímpica. Ainda recém chegado na modalidade, o objetivo era adquirir mais rodagem na modalidade. Tudo planejado e pensado para que o lutador ascendesse no momento certo para a categoria olímpica e tivesse a chance de sonhar com os Jogos Olímpicos, objetivo de todos os atletas de alto rendimento.

“Em 2019 lutava no peso não olímpico para ganhar experiência, não tem como ir para o peso olímpico logo de cara. Conquistei a medalha de bronze no Pan-Americano da categoria júnior. Depois veio a pandemia, treinava o dia todo, o corpo estava bem, mas a cabeça não. Quando voltamos ao rotina não tinha ânimo para treinar, ou seja, treinei demais na pandemia”, explicou Giovanni.

Na virada do ano, Giovanni fez um trabalho para ganhar peso e competir na categoria 86kg, finalmente chegava o momento de disputar os campeonatos na categoria olímpica. O resultado não poderia ter sido melhor. Título brasileiro e vaga no Pan-Americano. Para confirmar a vaga nos Jogos Sul-Americanos bastava vencer a Copa Brasil, mas uma machucado na costela por pouco não custou a vaga.

“Na Copa Brasil, acabei machucando a costela e ficando em terceiro lugar. Tive que lutar a seletiva e como aquela luta era a última, entrei no “flow” e protegendo a costela machucada. Até hoje não consigo explicar como venci aquela luta e conquistei a vaga. Era para ser”, relembra Giovanni.

A receita do sucesso de Giovanni passa por suas duas famílias: a do wrestling no tapete e a de casa. A equipe está junta dentro e fora dos tapetes. A mãe Cíntia trabalha como cozinheira para uma família que auxilia Giovanni na carreira de atleta. A irmã mais nova, Letícia Piazza segue os passos do irmão e vem acumulando resultados, como o título da Copa Brasil Sub-20, um dia depois da confirmação da vaga de Giovanni.

“Minha irmã diz que sou a inspiração dela. Mas é o contrário. Letícia nasceu com falta de oxigenação no cérebro, os médicos disseram que se ela sobrevivesse ficaria com sequelas. Hoje ela cresceu e não tem nenhum tipo de limitação, tanto que luta. Ela tem um talento para lutar. Quando ela ganhou a Copa Brasil Sub-20, no dia seguinte da conquista da minha vaga, ela disse que não tinha como perder. Mal sabe ela, que ela é que minha inspiração”, contou um orgulhoso irmão.

Com apenas 5 anos de wrestling, Giovanni é a prova de que dedicação, treinamento e planejamento dão certo. O tempo passou rapidamente desde o dia que em o lutador colocou a malha pela primeira vez, até receber a mala do Time Brasil e seguir para os Jogos Sul-Americanos.

“É meio assustador! Qualquer criança que faz esporte sonha um dia em estar no Time Brasil. É diferente de qualquer situação e representar o Brasil em uns Jogos Sul-Americanos. Queria agradecer minha família, meus técnicos e equipe, os patrões da minha mãe. Carla Capelli e Anthony Wong. Enfim, todos que me ajudaram a estar aqui”, encerrou Giovanni.

Giovanni Piazza compete nos Jogos Sul-Americanos dia 14/10 na categoria 86kg do estilo livre masculino

Redes Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades: