Cesar Alvan não avança na repescagem e Brasil se despede do Mundial Sênior 2022

Terminou neste sábado (17/9) a participação do Brasil no Mundial de wrestling. Depois de perder na estreia para o bicampeão europeu Tajmuraz Salkazanov, da Eslováquia, Cesar Alvan foi para a repescagem da categoria até 74 kg do estilo livre porque o algoz chegou à final. Mas, neste sábado, voltou a ser derrotado. Desta vez por 10 a 0 para o japonês Daichi Takatani, medalha de bronze no Campeonato Asiático.

Com o resultado, o Brasil encerra sua participação com três vitórias entre 11 lutadores participantes. Quem chegou mais perto de uma medalha foi Joílson Júnior na categoria até 77 kg do estilo greco romano. Depois de perder a estreia para Akzhol Makhmudov, do Quirguistão, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio e que sagrou-se campeão mundial em Belgrado, o brasileiro venceu na repescagem o mexicano Emmanuel Castro na repescagem. Com isso, Joilson precisava de mais uma vitória para disputar o bronze, mas ele perdeu para o turco Yunus Basar.

Outra vitória masculina do Brasil no Mundial de wrestling saiu na categoria até 130 kg também do estilo greco romano. Representante do país nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Eduard Soghomonyan venceu o japonês Arata Sonoda na estreia, mas foi derrotado nas oitavas de final por Muminjon Abdullaev, do Uzbequistão, que caiu na semifinal, fazendo com que o brasileiro não tivesse a chance de voltar na repescagem.

Situação semelhante viveu Laís Nunes na categoria até 62 kg do estilo livre feminino. Cabeça-de-chave do torneio, a brasileira estreou direto nas oitavas de final e superou Ariukhan Jumabaeva, do Uzbequistão. Mas, nas quartas de final, ela foi derrotada pela canadense Ana Paula Gonzalez, atual campeã pan-americana, que foi eliminada na semifinal e a brasileira não foi repescada.

Além de Cesar Galvan e Joílson Júnior, Grabriela Rocha na categoria até 68 kg do estilo livre feminino também foi repescada mesmo sendo derrotada na estreia. Ela perdeu na primeira luta para a relevação japonesa Ami Ishii, de apenas 20 anos, que acabou sendo vice-campeã mundial. Na repescagem, no entanto, ela não resistiu à francesa Pauline Lecarpentier, atual vice-campeã europeia, e foi eliminada.

A derrota mais dolorida, entretanto, foi a de Giullia Penalber. Assim como Laís Nunes, a lutadora carioca entrou no Mundial de wrestling como cabeça-de-chave e esteve muito perto de vencer a estreia contra Zhala Aliyeva, do Azerbaijão, de apenas 21 anos. A brasileira vencia a luta por 12 a 9 a dois segundos do fim, mas sofreu o encostamento da adversária. Uma das grandes esperanças de bom resultado do país na competição, ela não teve a chave de ir para a repescagem porque a sua algoz não passou da semifinal.

O Brasil ainda contou no Mundial de wrestling com as participações de Ronisson Brandão (87 kg), Kenedy Pedrosa (67 kg) e Marat Garipov (60 kg) no estilo greco romano, além de Kamila Barbosa (50 kg) no estilo livre feminino. Mas todos os quatro lutadores foram eliminados em seus combates de estreia.

Redes Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades: