Em parceria com o COB, CBW integra programa de observadores nos Jogos da Juventude

Integrando o programa de observadores do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a Confederação Brasileira de Wrestling (CBW) terá uma equipe especializada nos Jogos da Juventude, que estão acontecendo em Aracaju-SE. A CBW contará com uma equipe especializada na capital sergipana, incluindo dois profissionais que observarão atletas e treinadores, fazendo análises e avaliações deles com foco no desenvolvimento da modalidade a longo prazo.

Felipe Macedo, treinador nacional nos Jogos Olímpicos de Tóquio, e Tiago Aquino, pesquisador da Pedagogia do Esporte de um projeto de desenvolvimento do atleta da CBW, serão os observadores responsáveis por atuar nos Jogos da Juventude. Eles terão funções antes e durante a competição, que reúne 4.500 jovens atletas de todo o Brasil de até 17 anos de idade. As disputas do wrestling estão previstas para acontecerem de 11 a 13 de setembro.

Observadores em ação

Antes da competição, eles vão ministrar uma palestra sobre fundamentos da modalidade e aplicarão um questionário de diagnóstico aos treinadores. Assim que for iniciada a disputa, os observadores farão análises gerais dos atletas e análises aprimoradas dos finalistas, que serão feitas em forma de relatórios a serem entregues para a CBW posteriormente.

“Os Jogos da Juventude dão um norte para as características que o atleta tem que ter para que ele ingresse na seleção brasileira e tenha futuro como um lutador de elite. A ideia é não deixar escapar um potencial talento”, explica Tiago Aquino, que faz parte do grupo de pesquisas sobre Biodinâmica do Movimento do Esporte na Unicamp.

“Tenho uma expectativa muito boa para os Jogos da Juventude. Vejo esse campeonato como um dos mais importantes para o crescimento da modalidade, porque ele mexe com a base, que é onde nós precisamos desenvolver a longo prazo. Esses Jogos movimentam tanto atletas quanto treinadores. Motivamos os treinadores a trabalharem com a base visando os Jogos da Juventude. É um torneio que chama muita atenção”, avalia Felipe.

Trabalho a longo prazo

O questionário que será aplicado para a pesquisa de diagnóstico foi desenvolvido na Academia Brasileira de Treinadores, programa desenvolvido pelo Comitê Olímpicos do Brasil, contando com a participação de Tiago Aquino. As perguntas serão elaboradas para os treinadores para colher informações pessoais deles, como formação acadêmica, quantidade de horas semanais de aulas dadas, entre outras coisas.

“A minha função hoje é dar diretrizes que melhorem a habilidade do treinador com os seus atletas. Ela é uma função metodológica”, cita Tiago, que nutre uma relação de pesquisa acadêmica há quase uma década com o wrestling brasileiro. Atualmente, ele está produzindo um documento de análises que será a base para atletas iniciantes ou treinadores que queiram dar seguimento na modalidade a longo prazo. 

Em parceria com o COB, CBW integra programa de observadores nos Jogos da Juventude

Integrando o programa de observadores do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a Confederação Brasileira de Wrestling (CBW) terá uma equipe especializada nos Jogos da Juventude, que estão acontecendo em Aracaju-SE. A CBW contará com uma equipe especializada na capital sergipana, incluindo dois profissionais que observarão atletas e treinadores, fazendo análises e avaliações deles com foco no desenvolvimento da modalidade a longo prazo.

Felipe Macedo, treinador nacional nos Jogos Olímpicos de Tóquio, e Tiago Aquino, pesquisador da Pedagogia do Esporte de um projeto de desenvolvimento do atleta da CBW, serão os observadores responsáveis por atuar nos Jogos da Juventude. Eles terão funções antes e durante a competição, que reúne 4.500 jovens atletas de todo o Brasil de até 17 anos de idade. As disputas do wrestling estão previstas para acontecerem de 11 a 13 de setembro.

Observadores em ação

Antes da competição, eles vão ministrar uma palestra sobre fundamentos da modalidade e aplicarão um questionário de diagnóstico aos treinadores. Assim que for iniciada a disputa, os observadores farão análises gerais dos atletas e análises aprimoradas dos finalistas, que serão feitas em forma de relatórios a serem entregues para a CBW posteriormente.

“Os Jogos da Juventude dão um norte para as características que o atleta tem que ter para que ele ingresse na seleção brasileira e tenha futuro como um lutador de elite. A ideia é não deixar escapar um potencial talento”, explica Tiago Aquino, que faz parte do grupo de pesquisas sobre Biodinâmica do Movimento do Esporte na Unicamp.

“Tenho uma expectativa muito boa para os Jogos da Juventude. Vejo esse campeonato como um dos mais importantes para o crescimento da modalidade, porque ele mexe com a base, que é onde nós precisamos desenvolver a longo prazo. Esses Jogos movimentam tanto atletas quanto treinadores. Motivamos os treinadores a trabalharem com a base visando os Jogos da Juventude. É um torneio que chama muita atenção”, avalia Felipe.

Trabalho a longo prazo

O questionário que será aplicado para a pesquisa de diagnóstico foi desenvolvido na Academia Brasileira de Treinadores, programa desenvolvido pelo Comitê Olímpicos do Brasil, contando com a participação de Tiago Aquino. As perguntas serão elaboradas para os treinadores para colher informações pessoais deles, como formação acadêmica, quantidade de horas semanais de aulas dadas, entre outras coisas.

“A minha função hoje é dar diretrizes que melhorem a habilidade do treinador com os seus atletas. Ela é uma função metodológica”, cita Tiago, que nutre uma relação de pesquisa acadêmica há quase uma década com o wrestling brasileiro. Atualmente, ele está produzindo um documento de análises que será a base para atletas iniciantes ou treinadores que queiram dar seguimento na modalidade a longo prazo. 

Redes Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades: