Festival reúne crianças do Projeto Luta Niterói em tarde inesquecível no 12º BPM

O Festival do Projeto Luta Niterói celebrou o sucesso da iniciativa nesta quinta-feira (8/12), no ginásio do 12º Batalhão da Polícia Militar, em Niterói. Sessenta crianças de três Escolas Municipais, polos do Projeto, participaram do festival que marcou o sucesso do Projeto desenvolvido pela Confederação Brasileira de Wrestling e a Prefeitura de Niterói, via Secretaria Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Niteroi. O evento contou com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Wrestling, Flavio Cabral Neves, e da Professora Juliana Martins da Coordenação de Educação em Sustentabilidade, Esporte e Saúde da Secretaria Municipal de Educação, ligada à Subsecretaria de Projetos Educacionais Transversais.

“Fico emocionado de ver o esporte se renovando e a rápida adesão dos alunos em um projeto iniciado no segundo semestre. Tivemos 60 alunos da rede municipal demonstrando o wrestling que aprenderam neste período. O principal objetivo desse Projeto é unir esporte e educação, uma bandeira que acreditamos. Saio daqui com a certeza de que esse é o caminho que devemos seguir, em Niterói e no Brasil inteiro”, afirmou Flavio Cabral Neves, presidente da CBW que começou a praticar a modalidade no tradicional clube Canto Rio, também em Niterói.

A reunião das crianças dos polos situados na Escola Municipal Julia Cortines, Anísio Teixeira e Paulo Almeida só foi possível graças ao transporte disponibilizado pela Prefeitura e as autorizções obtidas pela Coordenação de Educação em Sustentabilidade, Esporte e Saúde da Secretaria Municipal de Educação, ligada à Subsecretaria de Projetos Educacionais Transversais representada pela Professora Juliana Martins.

“Não é uma tarefa fácil transportar as crianças de suas respectivas Escolas pois exige uma série de autorizações e tivemos o apoio total da Secretaria Municipal de Educação. Isso demonstra que o Projeto é cuidado com todo carinho e respeito dentro e fora dos tapetes de luta. Espero que o número de polos aumente e que o Projeto Luta Niterói cresça ainda mais”, explicou Felipe Macedo, coordenador do Projeto Luta Nitérói.

Aulas do Projeto estão previstas para seguir até fevereiro mas podem ter prazo estendido

O Projeto Luta Niterói atende 120 crianças em quatro polos diferentes da cidade de Niterói, cada polo com duas turmas de 15 alunos. Três deles são em Escolas municipais: Anísio Teixeira, Julia Cortines e Paulo Almeida, além de um espaço montado no Centro Comunitário de Niterói na Comunidade 94. As aulas iniciaram em setembro e estão previstas para terminarem em fevereiro, mas podem ter o prazo renovado.

Em nota enviada, a equipe composta por Juliana Martins, Roberta Coube, João Ricardo e Joana Vieira, da Secretaria Municipal de Educação, destacou a realização do Festival e espera que o Projeto atinja mais crianças em 2023.

“Parabenizamos a iniciativa da equipe em propiciar às crianças e estudantes, da Rede Municipal de Educação de Niterói, momentos de práticas corporais pouco frequentes em seus cotidianos. Por essa razão, destacamos a importância de estabelecermos parcerias como esta, que permitam oportunidades que vão ao encontro do desenvolvimento integral dos participantes. Destacamos o imenso interesse e adesão dos alunos não somente pelo aspecto competitivo, mas sobretudo pela oportunidade recreativa nas atividades realizadas. Esperamos que em 2023 o esporte seja mais difundido na Rede, despertando os potenciais de nossas crianças e estudantes”.

As aulas são comandadas por professores e assistentes. Na Escola Júlia Cortines e na Comunidade do 94, o professor Nestor Antônio Garcia atua ao lado de Shayenne Silva; na Escola Paulo Almeida, o professor Andre Pinto e o assistente Wellington Aguiar e na Escola Anísio Teixeira, o professor Rodolfo Rosa, atua ao lado do assistente Douglas Martins.

Redes Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades: